A sexualidade entre mãe e filha

16 Nov

Email enviado pela Linda de Joinvile – Santa Catarina
Obrigada por abrir esse espaço para podermos colocar nossos questionamentos e dúvidas para tentar entender um pouco mais dessa coisa louca de nossas vidas que é o sexo. Não ficarei de rodeios e abrirei logo meu coração que por anos tem andado sufocado devido a uma forte sensação que consome minhas noites a fio. Tenho um relacionamento super aberto com meus filhos, talvez melhor do que mesmo com meu marido, uma pessoa um pouco antiquada demais e muito fechado com relação a assunto de sexo. Tenho um casal de filhos maravilhosos, um mais velho que mora nos Estados Unidos e já é casado onde me presenteou com uma neta maravilhosa e minha filha mais nova de 25 anos que é sem sombra de dúvidas minha melhor amiga, a melhor de toda minha vida. Uma pessoa alegre, feliz, trabalhadora, um exemplo de mulher e uma filha que somente me deu alegrias. Sempre nos falamos sobre sexo abertamente, ela sabe de minha relação com o pai dela, sabe de minhas frustrações, da minha necessidade de querer algo novo, diferente com relação ao sexo, mas que ele sempre tratou de me ignorar durante esses mais de 30 anos de casamento. Me considero jovem, ainda me acho atraente, me cuido bem, e apesar de passar dos 50 anos tenho o calor sexual a flor da pele, mas sou só. Com ela, estive presente em todo o processo de sua primeira vez, com um namorado que frequentava nossa casa, mas que por fim eles calharam de não seguir em frente.Quando ela fez 19 anos, me senti flechada pela maternidade quando ela me procurou dizendo sentir e fantasiar com mulheres. Não imaginava que um dia isso pudesse acontecer, mas menos ainda, pude imaginar minha reação, que foi mais de acolhedora que de qualquer outra coisa que talvez a traumatizasse. Me senti bem em ver que ela se sentiu feliz em se abrir comigo. Eu mesma já tinha pensando nisso comigo algumas vezes, mesmo vendo filmes com meu marido, sempre achei bonita a relação entre mulheres, mas efetivamente não tinha ainda tido coragem de pensar mais a fundo na coisa. Depois desse episódio de revelação de minha filha, minha mente ficou mais aberta ao assunto, até porque eu tinha que me preparar para auxiliá-la no que ela precisa-se. Com isso passei a ler a respeito, comprei romances sobre o assunto, aluguei filmes escondida de meu marido e por fim esse assunto se tornou absolutamente tranquilo para minha cabeça. Certo dia, ela chegou de uma festa, me abracou tremendo muito, como se tivesse com medo, me disse que tinha medo da minha reação e de seu pai, mas por fim me relatou sua primeira experiência com uma amiga. No final de nossa conversa nós estávamos rindo e se divertindo, e ela estava muito feliz. Me senti bem, era nosso segredo. Após 6 anos dessa data, ela já teve várias experiências, chegando mesmo a ter um romance de dois anos, porém sempre escondida da sociedade, mas não de mim. Acabei sendo a colaboradora da união delas, fiquei amiga de sua amante e sempre as alertei sobre a necessidade delas estarem sempre com os pés nos chão. Neste ano, ela foi para teve que terminar a relação, pois sua ela começou uma sociedade com seu irmão e nos Estados Unidos e sua amiga mudou-se para São Paulo. Por bem, desistiram de manter a relação, sendo agora apenas boas amigas. Bem, não quero relatar esse fato, isso para mim é coisa bem resolvida, apesar de só agora eu estar podendo falar com alguém sem ser ela. O fato é que desde que passei a pensar no assunto, uma vontade forte de experimentar tem tomado conta de mim. Tentei nesses anos dar a entender ao meu esposo, mas estou certa que ele aceitaria uma convidada, porém seria egoísta, querendo semente para ele e eu não poderia desfrutar dessa sensação. Sonhei inúmeras vezes com essa possibilidade, de sentir o toque de uma mulher, os beijos as carícias. Com o tempo, percebi a felicidade de minha filha e de certa forma sentia um pouco de inveja misturada com admiração. Quando dei conta, percebi que estava me imaginando com ela.Tive noites maravilhosas sonhando com suas aventuras que ela me contava, porém era eu no lugar de suas amigas. Acordava suada, assustada, mas inegavelmente com o corpo em chamas. Daí uma sensação de raiva de mim mesma em pensar algo assim. Deixava isso apenas no faz-de-contas de minha mente e não dava mais importancia querendo me esquivar do assunto. Mas com os anos, me pegaga olhando para a boca dela, ficava com um friozinho na barriga quando ela me abraçava, saida do banho ou mesmo arrumada para sair. Pode parecer loucura, mas em alguns momentos sentia no seu olhar que minhas vontade até seriam possíveis. Posso afirmar que depois de suas relações com mulheres ela se tornou muito mais atraente e com um olhar maravilhosamente cativante. Mas alé eu parava e me bloqueava. Achei que isso seria por pouco tempo, mas não. Para ser sincera, não sei se sinto vontade de fazer sexo, mas gostaria que ela me tocasse, me beijasse. Gostaria de sentir isso uma vez na vida, e teria que ser com minha melhor amiga, mas essa é minha filha…não sei o que fazer. Gostaria da ajuda de você se possível.
Isadora Pupo Responde
Tocante sua história minha linda. Antes devo te acalmar. Suas fantasias são suas, não se preocupe. Nossa mente vai onde quiser e fica somente consosco. Se te faz bem fantasiar com ela, nenhum problema, vá em frente, deixe fluir, afinal ela também é uma mulher e pelo jeito muito bem esclarecida. Parabéns pela sua popstura quanto a opção de sua filha, isso a tornará madura e forte para vida. Olha, não se assuste, isso é mais normal do que você possa imaginar. Incrível é que eu tenho um caso igual ao seu e elas acabaram por viver isso muito bem. Na europa é até muito comum, mães viverem com suas filhas e dividirem a cama com o marido delas. Muitas mulheres sentem atração pelos genros e com o tempo acabam se abrindo com a filha que por fim não se nega a deixar que eles possam ter contatos, mas no final são elas que acabam se apegando e descobrindo uma relação profunda. Não posso aqui falar nada no que diz respeito a sociedade, maternidade etc. Posso sim falar de sexualidade entre vocês. O que mais me parece ser um grande bloqueio é o fato de você não ter um marido com a mente aberta, pois ele sim seria sua grande válvula de escape para realizar seus desejos, mas vamos lá: Primeiro, se você acha que ela respode aos seus olhares, então ela responde. Essa comunicação quase invisível para os homens, realmente existe entre as mulheres. Segundo, não se iluda, as filhas sempre sentem o que você está sentindo pelo menos uma vez na vida com suas mães. A relação entre mãe e filha é muito estreita, talvez ela sempre desejou o mesmo, mas sabemos o quanto é complicado escrever um email desse, quanto mais, dar um passo adiante não é mesmo? O fato de vocês já terem uma relação muito boa que me estranha de ainda você não abrir seu coração para ela. Ora, se ela já está encaminhada, certamente ela te ajudaria nesse quesito, até mesmo com seu marido, afinal vocês são amigas. Mas percebo que não é só isso, existe também o fetiche de que seja com ela em especial. Isso é normal. O que te recomendo: coloque em pratica o selinho ora poxa vida! Um carinho tão gostoso e que não há mal algum entre as mulheres, ainda mais entre mãe e filha. Se no seu caso, o marido ou amigos talvez não entendam tal mudança radical, faça só quando vocês estiverem a sós. Puxe um assunto sobre isso e deixe rolar até um momento oportuno para fazer a proposta, leve na diversão e se beijem, e mantenha isso, sem vulgaridades, apenas um gesto de carinho entre duas grandes amigas. Num segundo passo, uma boa dica sem que se comprometa e relação entre mãe e filha, peça para ela te fazer uma massagem ou proponha fazer para ela, deixe os carinhos se transformarem gestos de amor, depois tomem um banho juntas, sem frescuras ou vergonhas. Certamente vocês já se conhecem nuas, então não há problemas em tomarem um bom e relaxante banho com deliciosos selinhos. Apenas cuide para que isso não se torne vulgar. É para acrescentar a vida isolada de cada uma de vocês. Não é sexo, é sexualidade feminina de mãe para filha, de filha para mãe, de amiga para amiga.

Bem Minhas Lindas, eis um assunto bem polêmico, porém já vi muitos relatos assim desde que montamos o blog. Deixem suas opniões no chat ao lado para que nossa Linda possa se orientar um pouco mais. Bejokas

3 Respostas to “A sexualidade entre mãe e filha”

  1. Lucia Janeiro 4, 2010 at 6:08 am #

    Creio que nossa amiga deve sim fantasiar e não vejo problema em prosseguir para algo real se ambas assim desejarem. Linda já que possui abertura entre você e sua filha fale disto com ela. beijos e boa sorte.

  2. Alanis Fevereiro 23, 2010 at 3:29 am #

    Seu conflito interno deve ser imenso – a luta entre o desejo e a moral imposta pela sociedade por ela ser sua filha. Mas, pelo seu relato, vc deve ser a pessoa que mais a conhece, portanto, vc saberá se deve ou não dar vazão ao seu desejo e ignorar a moral. Boa sorte.

  3. mari Janeiro 20, 2011 at 5:19 pm #

    Quem já não teve fantasias loucas, que atire a primeira pedra.
    Se o relacionamento é franco, aberto e sincero, não vejo o porque de não seguir o caminho citado pela Isadora.Devagar.Aos poucos, e derrepente tudo pode acontecer.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: